Comunidade GK na ocupação da Prefeitura de BH

Em BH, diversas comunidades em luta pela moradia, como a Comunidade Dandara, Eliana Silva, Camilo Torres, Irmã Dorothy, Vila Cafeza, Rosa Leão e Guarani Kaiowa. juntamente com as organização politica Brigadas Populares e Movimento de Luta dos Bairros Vilas e Favelas (MLB), realizaram uma ocupação na Prefeitura de BH para pressionar o executivo daquele municipio a realizar uma reunião entre as ocupações urbanas e prefeito Marcio Lacerda.

A comunidade GUARANI KAIOWA, apesar de estar localizada no municipio

SAM_1361

de Contagem, tambem

participou dessa ocupação por entender a luta pelo direito a

moradia como justa e necessaria, apoiando dessa forma as familias e comunidades ameaçadas e os movimentos de moradia e reforma urbana em BH.

A ocupação aconteceu num momento de urgencia para centenas de familias ameaçadas com ordens de reintegração de posse em BH e após 5 anos de gestão do Prefeito Marcio Lacerda sem nenhuma oportunidade de dialogo da prefeitura com as ocupações e movimentos organizados.

A prefeitura permaneceu ocupada durante 32 horas.

Durante o inicio da ocupação foi negado aos ocupantes a entrada de alimentação, itens de higiene, colchões e cobertores. Foi negado inclusive a entrada do bebê, filha de uma das ocupantes. Essa criança foi amamentada pelas grades da prefeitura, gerando grande revolta e repercursão Brasil e mundo a fora. Depois da pressão popular de dentro e de fora da prefeitura, foi possivel a entrada de alimentos, da criança e de itens de higiene e conforto.

Com a pressão popular sobre o prefeito, e somente através dela, foi marcada uma reunião com o prefeito de BH possibilitando a conquista de importantes pontos de reivindicação das ocupações e movimentos urbanos.

O prefeito se comprometeu nos seguintes pontos:

1 – Retirada dos pedidos dos processos de reitegração de posse movidos pelo executivo de BH, ou seja, pela prefeitura de BH sobre terrenos pertencentes a prefeitura de BH. No caso dos terrenos particulares, a prefeitura se comprometeu a convidar os proprietarios a dialogar;

2 – Criação de uma comissão com a participação dos movimentos organizados, ocupações urbanas e prefeitura para avaliar caso a caso, cada ocupação urbana, com o objetivo de propor soluções para as questões de cada ocupação;

3 – A ocupações serão reconhecidas como Areas Especiais de Interresse social (AEIS) – destinadas a moradias populares de baixa renda. Isso reconhece essas areas como precarias e passiveis de regularização fundiaria.

Essa é uma conquista historica para BH e para o Brasil nas movimentações pela Reforma Urbana. E só foi possivel graças a mobilização, pela luta do povo, pela solidariedade direta vinda do mundo todo.

POR UMA CIDADE ONDE CAIBAM TOD@S!

Sobre ocupacaoguaranikaiowa

Ocupação urbana no bairro Ressaca em Contagem - MG que nasce quando 150 famílias ocupam terreno ocioso que não cumpria sua função social com o intuito de construir lares e sonhos por uma vida digna. Este é o blog da ocupação para fazer reverberar pela sociedade mineira suas ações e anseios por cidades onde caibam todos e todas. Acompanhe diariamente noticias de sua e outras lutas urbanas de MG.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s